Ninguém é igual a ninguém

by 21:01 0 comentários
"Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar."

- Carlos Drumond de Andrade -

 Época da ditadura ....

Na época da 'chamada' ditadura...
Podíamos namorar dentro do carro até a meia- noite sem perigo de
sermos mortos por bandidos e traficantes.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos ter o INPS como único plano de saúde sem morrer a míngua nos
corredores dos hospitais.
Mas não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem
era cidadão de bem,quem era bandido e quem era terrorista,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos paquerar a funcionária, a menina das contas a pagar ou a
recepcionista sem correr o risco de sermos processados por “assédio
sexual”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei!
negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua
bicha!) e não éramos processados por “discriminação” por isso,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do
trabalho para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de
sermos jogados à vala da delinqüência, sendo preso por estar
“alcoolizado”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas, sem
que isso constituísse crime ambiental,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.


Passamos por períodos de Estado de Sítio (quando existe toque de recolher e proibiçao de reunioes) aproximadamente três vezes enquanto que hoje na maioria das metropoles vivemos em estado de sitio permanente imposto pelos bandidos.

Podíamos ir a qualquer bar ou boate, em qualquer bairro da cidade, de

carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos
assaltados, sequestrados ou assassinados,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.



Ao longo de 20 anos de ditadura "assassina" foram eliminadas aproximadamente 800 pessoas que se opunham ao regime e que sabiam dos riscos que corriam. Hoje são assassinadas 130 pessoas por dia, desde bebês até idosos, pelo crime de serem pessoas comuns.

Mas agora eu posso falar mal do presidente.

  Hoje a única coisa que podemos fazer...
...é falar mal do presidente!

que merda !


Ema Sab

Developer

Cras justo odio, dapibus ac facilisis in, egestas eget quam. Curabitur blandit tempus porttitor. Vivamus sagittis lacus vel augue laoreet rutrum faucibus dolor auctor.

0 comentários:

Postar um comentário